Artigos

Orquestrando talentos humanos para gerar resultados excepcionais.

“Juntar-se é um começo; mantendo juntos é um progresso; trabalhar juntos é um sucesso.”
Henry Ford

“Com talento, ganhamos partidas; com trabalho em equipe e inteligência, ganhamos campeonatos.”
Michael Jordan, jogador e líder

Toda organização possui um propósito para sua existência que pode envolver a prestação de serviços, a produção de bens ou a comercialização de mercadorias. O conjunto de atividades necessárias para cumprir esta meta é chamado de processo, que depende fortemente de uma estratégia clara, consistente e viva; e principalmente, de pessoas motivadas, competentes e habilitadas para executar processos com uso adequado da tecnologia da informação. Ocorre que tudo isso depende, principalmente, de uma liderança transformadora que irá impulsionar as mudanças necessárias para gerar maior valor para as partes interessadas.

O grande desafio das organizações é ter em sua estrutura pessoas dinâmicas com paixão pelo que faz!

Quem são essas pessoas? São os líderes executivos, lideres técnicos, colaboradores, fornecedores que devem estar alinhados para um trabalho profícuo e integrado, por meio de uma equipe coesa para gerar alto desempenho!

Ora, parece fácil dizer, mas é difícil criar, desenvolver e implantar essas equipes de alto desempenho! Esses perfis humanos compõem o capital humano da organização que em alguns casos são ignorados ou subestimados pelos gestores públicos e privados.

 

Capital Humano

As competências, habilidades e experiência das pessoas e suas motivações para inovar, incluindo: 

  • Seu alinhamento com e apoio ao quadro de governança, abordagem de gerenciamento de riscos e valores éticos;
  • Capacidade de entender, desenvolver e implementar a estratégia de uma organização;
  • Lealdade e motivação para melhorar processos, bens e serviços, incluindo a capacidade de dirigir, gerenciar e colaborar.

O conceito de capital humano é singular, vital, direcionador e desdobra-se em outros capitais como: capital intelectual, capital financeiro, capital organizacional, capital social e de relacionamento, capital de fornecedores e ecossistema, capital de dados e informações, etc.... 

Voltando a ideia do time de talentos! O primeiro passo é identificar quem será a Liderança Transformadora que inspira e aponta o caminho para uma mudança necessária, substantiva e revolucionária na organização.

 

Liderança Transformadora

Atuação dos líderes de forma ética, inspiradora, exemplar e comprometida com a excelência, compreendendo os cenários e tendências prováveis do ambiente e dos possíveis efeitos sobre a organização e suas partes interessadas, no curto e longo prazos; mobilizando as pessoas em torno de valores, princípios e objetivos da organização; explorando as potencialidades das culturas presentes; preparando líderes e pessoas; e interagindo com as partes interessadas.

Quais os principais atributos da liderança transformadora?

  • Saber delegar;
  • Inspirar pessoas a superar seus desafios;
  • Descobrir, alinhar e integrar talentos humanos em equipes;
  • Manter foco e determinação na mudança;
  • Estabelecer metas grandiosas e exequíveis;
  • Valorizar, celebrar e premiar resultados alcançados;
  • Gerar novos mentores e lideres técnicos para difusão do conhecimento;
  • Gerar um ambiente colaborativo para gerar resultados; e
  • Adotar a simplicidade para descomplicar e gerar soluções inovadoras.

Para não ficarmos em divagações e teorias pequemos o exemplo emblemático de uma Orquestra Sinfônica que integra vários músicos com talentos excepcionais, onde o Maestro, que quer dizer Mestre que com sua batuta e partitura orienta, aponta, dirige, inspira, motiva os diversos os músicos a executar um verdadeiro show, onde os clientes que são o público apenas ouvem e ficam extasiados com o show e aplaudem o espetáculo realizado!

 

Será que nossas organizações podem atuar como orquestras sinfônicas?

Creio que a resposta é sim!

  1. Primeiro identificar quem será o Mestre que é a Liderança Transformadora que irá inspira e comanda a mudança;
  2. Segundo formar a orquestra, ou seja, os músicos que são os talentos humanos disponíveis e até selecionar os necessários, com base nos perfis profissionais requeridos e alinhados ao processo produtivo;
  3. Identificar e selecionar os talentos por instrumentos musicais, ou seja, quais as competências dos líderes, técnicos e colaboradores para executar a partitura, de forma harmônica como equipe integrada, ou seja, executar as estratégias e processos, com base no modelo de negócios da empresa;
  4. Afinar os instrumentos musicais, ou seja, capacitar os talentos humanos para executar a partitura, ou seja, realizar as metas e desafios pactuados;
  5. Executar a partitura, ou seja, integrar e harmonizar os talentos para execução das ações e processos;
  6. Reger a orquestra onde o Maestro com sua batuta e partitura rege a equipe para atender e superar as necessidades dos clientes e atender as partes interessadas; e
  7. Avaliar os resultados e comemorar os êxitos alcançados com todos os envolvidos.

A e-LOGOS pode apoiar sua organização no desafio da mudança e criação de um modelo organizacional que orquestre harmonicamente seus talentos para que sua organização alcance um desempenho excepcional!

¬ Artigo escrito por Elysson Ribeiro

 

 

Artigo, Elysson Ribeiro, e-LOGOS, Serviços de Organização, Serviços de Estratégia, Serviços de Processos, Serviços de Tecnologia, Liderança, Transformação Digital, Modelo de Negócios, Plano de Negócios

DO que sua organização precisa?

Juntos, vamos simplificar a gestão

Faça um diagnóstico organizacional online e gratuito

Rua 20 Norte, Lotes 01 a 03, Loja 03 (sobreloja)
Edifício Green Park
71.900-100
Águas Claras - DF

© 2020 e-LOGOS, Todos Os Direitos Reservados
design by The Red Studio